Bem-vindo, hoje é dia

WhatsApp  |  E-mail  |  Login  |  Cadastre-se  |  Gerenciar Telas

Em Londrina, justiça manda soltar ex-síndico suspeito de desviar R$ 700 mil.

Em Londrina, justiça manda soltar ex-síndico suspeito de desviar R$ 700 mil.

Conforme decisão, soltura se deve à ausência de risco de novos crimes, além de considerar que prisão 'desproporcional'. Crimes aconteceram entre 2016 e 2017, segundo investigação.

Uma decisão da Justiça determinou a soltura de um ex-síndico suspeito de desviar R$ 700 mil de um condomínio de luxo de Londrina, no norte do Paraná. Ele havia sido preso na quarta-feira (11) em Itapetininga, no interior de São Paulo.

Conforme documento do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), a decisão acontece porque o suspeito não apresenta mais risco, uma vez que foi afastado do cargo.

A decisão ainda questiona a prisão, afirmando que foi "desproporcional" e que cometeu uma injustiça, entendendo que prisões durante a pandemia devem ocorrer em casos excepcionais.

Segundo a polícia, os crimes aconteceram entre os anos de 2016 e 2017. Em depoimento, o suspeito disse que usou o dinheiro para investir em criptomoedas.

Apesar disso, segundo ele, o corretor que administrava o investimento desapareceu com o montante.

Investigação
A suspeita surgiu após os moradores do prédio desconfiarem da prestação de contas. Depois da troca de síndico, indícios de desvio foram identificados.

A Polícia Civil informou que o homem não apresentou provas da versão relatada durante o depoimento e que o suposto investimento foi feito sem que os moradores do condomínio soubessem.

Uma auditoria contratada pelo condomínio mostrou que o total de transferência em cinco anos chega a quase R$ 1,2 milhão. A polícia acredita que o suspeito falsificava extratos bancários para enganar moradores e a empresa administradora.

Além disso, a investigação identificou que os desvios feitos pelo ex-síndico aconteciam por meio de saques em dinheiro ou por transferências bancárias para contas de pessoas que nunca prestaram serviços ao prédio.

A polícia disse ainda que o suspeito também enviava dinheiro para contas bancárias de duas empresas que são propriedades dele.

Cerca de 600 moradores vivem no prédio.

O caso é investigado.

 

 

 

 

 

Fonte: https://glo.bo/37N2nzu

Informativo

4ª Feira do Síndico

Palestras;
Stand de fornecedores;
Espaço para networking;
Sorteio de brindes;
Muitas novidades...

15 e 16 de Outubro/2021
Confiram as fotos

Anuncie

Fale Conosco

Office
(19) 3029-2533

WhatsApp
(19) 99190-3970

whatsapp

CAMPINAS Soluciona Síndico
atualalarmes.jpg
gte-dorigon.jpg
foxquality.jpg
lumicon.jpg
adv_elevadores.jpg
irineu-rossi-junior.jpg
eletrovital.jpg
stv-seguranca.jpg
securitycom.jpg
nogueira-brinquedos.jpg
petnatural_logo.jpg
coppiadvogados.jpg